quinta-feira, 31 de julho de 2014

Mais que acreditar, amar!

In The Blink Of An Eye de Michael Sinclair, Filme que recomendo. Aqui é reflectido que não basta dizer eu acredito, é preciso sentir bem forte no coração.

Não chega acreditar que Deus existe, precisamos de sentir o amor e viver o temor de Deus.
Este temor não significa, como diz o Papa Francisco, ter medo de Deus. «O temor de Deus, pelo contrário, é o dom do Espírito que nos recorda quanto somos pequenos perante Deus e perante o seu amor e que o nosso bem está no abandonarmo-nos com humildade, respeito e confiança na suas mãos».
Este dom do Espírito Santo ajuda a «reconhecermo-nos como filhos infinitamente amados e, ao mesmo tempo, consolida a nossa confiança e a nossa fé, porque nos faz ver como a nossa vida está nas mãos de Deus», sublinhou o Papa Francisco.

#Me: A reflectir em Lisboa, sobre o olhar de Cristo Rei



terça-feira, 29 de julho de 2014

Amizade

Para sermos felizes precisamos de amizades sinceras, de pessoas que nos tornam melhores e que deixam a sua marca na nossa vida.

O amigo dá sentido à vida,  Amar é a atitude de atribuir sentido.
Dar sentido é dar direcção, dar coerência. Pelo contrario, absurdo é aquilo que não tem sentido não é adequado. 
Muitas vezes, aquilo que não suportamos no outro é aquilo que não suportamos em nós mesmos. Do mesmo modo que começamos a sentir falta do outro quando na verdade sentimos falta de nós mesmo, sentimos falta do que somos quando estamos com essa pessoa.

O Papa Francisco disse no Vaticano que a “amizade” com Deus é capaz de transformar a vida humana e desafiou os católicos a compreenderem o “dom da piedade”.
Jesus não é somente um amigo. É um mestre de verdade e de vida, que revela o caminho para alcançar a felicidade.
O amor de Cristo e a sua amizade não são ilusórios. Jesus na Cruz mostra como eles são reais.
É a nossa amizade com Deus, que nos é dada por Jesus, uma amizade que muda a nossa vida e nos enche de entusiasmo, de alegria. 



domingo, 27 de julho de 2014

Santa Cruz

Santa Cruz, nome de uma bela praia e uma bela atitude. Sim, é uma bela atitude considerar a nossa Cruz como santa porque é a caminhada com a nossa cruz que a Deus nos conduz.

Então, vamos olhar a nossa cruz com amor porque só assim teremos força para vencer qualquer obstáculo, só assim podemos ver que a nossa caminhada tem um Sentido, o Sentido que leva a Jesus.
Acabo de chegar de uma Surf-Trip por Santa Cruz e aproveito para reflectir não só sobre a evolução do surf mas também sobre a evolução pessoal e espiritual que cada aventura nos proporciona. E nada melhor que o próprio nome da praia para me questionar, estou a carregar a minha cruz como sendo santa? Como sendo algo bom? Porque apesar da nossa cruz nos cansar é ela que nos torna mais fortes.. Aceitar a nossa cruz é reconhecer que temos dificuldades e problemas mas que conseguimos ultrapassar, é saber que por mais pesada que seja a nossa cruz vamos ter sempre Jesus para nos ajudar nos momentos mais difíceis.
Não te preocupes, Jesus não te dá uma cruz maior do que a que possas suportar.




Todos temos a nossa cruz,
ou pegamos nela com amor e santidade
para chegar até Jesus
ou ficamos sem aquela luz
Uma pequena história:
 
 
 
 
 



quarta-feira, 16 de julho de 2014

Somos nós que escolhemos o nosso caminho

Hoje durante o meu treino escolhi o caminho menos percorrido, avancei uma barreira e caminhei por verdes prados, logo depois surgiram passagens 'portas abertas' que me permitiram continuar.
A vida é mesmo assim, ás vezes temos de ultrapassar barreiras para seguir o nosso caminho, ainda que seja o menos comum. O importante é que a bússola seja o nosso coração. Assim que avançamos a primeira barreira vão aparecendo portas abertas, o caminho é belo e os acontecimentos surgem numa sintonia mágica. Por isso, devemos dar ouvidos ao nosso coração... Se ele quer ir por um caminho nunca antes percorrido e com barreiras, deixa-o ir!



O coração tem a sua razão,
é ele que no faz sentir aquela harmonia
Aquela paz e sintonia.

Vale a pena viver no amor de Jesus,
Mesmo tendo a sua cruz
Vale a pena ser feliz
é isto que o coração me diz.

Seguindo o meu instinto
não vou mais viver faminto
Vou amar e sonhar
porque tenho muito para realizar.


   #Me:  Senti aquela felicidade serena ao ver este luar no céu azul após o meu treino


segunda-feira, 14 de julho de 2014

Fé conduz à felicidade

                                                   

A fé antes de ser uma experiência sobrenatural, é uma experiência natural, humana, de confiar nas pessoa mais próximas. Antes da fé em Deus está a fé nas pessoas. O que é que podemos fazer para crescer na Fé em Deus?

Procurar ter uma vida de oração
Crescer a nossa intimidade com Jesus
Mergulhar na palavra de Deus
E também reavivar a fé nas pessoas.

Viver a experiência de fé em Deus, tem de se desdobrar nas experiências que temos nas pessoas. Assim a vida fica mais feliz.

terça-feira, 8 de julho de 2014

Saborear

A sabedoria não se detém no conhecimento.
Saber também significa saborear.
Sentir tem sempre a ver com a manifestação de Deus na alma e na vida de uma pessoa.
Papa Francisco

Desafio a todos a experimentar Jesus, a experimentar viver o seu amor. Vamos deixar de nos preocupar tanto com regras e explicações e vamos experimentar saborear. Vamo-nos aproximar de Jesus, porque quando nos aproximamos de Jesus começamos a aprender um novo modo de ser.

Quando desejamos encontrar Deus, gostaríamos de constatar de imediato a sua presença, segundo o método empírico. Assim não se encontra Deus. Só se pode encontra-lo na Brisa suave sentida por Elias.
Os sentidos que constatam a existência de Deus são aqueles a que Santo Inácio chama de ''Sentidos Espirituais''. Há que ter uma atitude contemplativa, sentir que se está a seguir pelo bom caminho da compreensão e do afecto em relação ás coisas e ás situações. O sinal de que se está nesse bom caminho é o da paz profunda, da consolação espiritual, do amor de Deus e de ver todas as coisas em Deus.
Texto inspirado no Papa Francisco